O que é cervicalgia?
    Quais são as causas da dor cervical?
    Quais são os sintomas mais comuns?
    Como é feito o diagnóstico da cervicalgia?
Clique nas perguntas ao lado >>   Qual o tratamento da dor cervical?
    Quando a cirurgia é necessária?
    Como é feita a reabilitação do paciente com cervicalgia?
 

Qual o tratamento da dor cervical?

O tratamento da cervicalgia deve ser baseado na avaliação clínica e história do paciente, se existe comprometimento neurológico, nos fatores desencadeantes e no tempo de duração dos sintomas.

Como as evidências na literatura médica são de baixa qualidade científica, a experiência do especialista e os anseios do paciente devem fazer parte das decisões a serem seguidas no tratamento.

As dores cervicais podem ser tratadas sem cirurgia na maioria das vezes e com raras exceções o tratamento conservador deve ser sempre a primeira escolha. Seu médico lhe ensinará como lidar com a crise dolorosa e como evitá-la.

Um colar cervical para limitar os movimentos e suportar a cabeça aliviando o esforço muscular pode ser benéfico, apesar de só ser obrigatório seu uso em casos de instabilidades geradas em traumas cervicais. Repouso por curtos períodos de tempo, no máximo três dias, pode auxiliar a recuperação dos músculos lesados.

O uso do antiinflamatório não esteroidal como o diclofenaco pode auxiliar na recuperação, reduzindo o desconforto e a dor. Algumas vezes analgésicos mais potentes podem ser utilizados por curtos períodos de tempo, no combate à dor refratária e nos casos agudos se lesão neurológica e fraturas foram descartadas.

Os relaxantes musculares podem ser indicados em casos em que as contraturas musculares são os fatores desencadeantes dos sintomas. Em casos extremos pode ser feito o chamado bloqueio analgésico do ponto de dor com a injeção local que além do analgésico pode conter corticoesteróides.

A fisioterapia deve sempre que possível fazer parte do tratamento, num primeiro momento com tratamentos passivos com calor ou gelo, ultra-som, ondas curtas, entre outras terapias que visam o alívio do quadro doloroso reduzindo o espasmo muscular, aumentando o fluxo sanguíneo e acelerando o processo de cura.

Num segundo momento, quando não há bloqueio de movimentação, iniciam-se tratamentos ativos como alongamentos e exercícios reabilitacionais específicos no intuito de melhorar os arcos de movimento e a força muscular dos segmentos acometidos, além de orientações posturais e técnicas de relaxamento.

A quiropraxia é uma boa alternativa para as cervicalgias que não apresentem sinais francos de compressão nervosa. É feita uma manipulação da coluna restaurando sua mobilidade e alinhamento com conseqüente melhora do quadro clínico.

A grande maioria dos pacientes com cervicalgia melhora entre 4 a 6 semanas após o inicio da crise dolorosa. Seja otimista e lembre-se que somente 5% dos pacientes com cervicalgia precisam ser submetidos a procedimento cirúrgico.

__________________________________________________________________________

<< anterior ______________________________________________________ proxíma >>